sábado, 7 de maio de 2011

Você pode

Carregando nos próprios ombros as aflições que fustigam a Terra, o Senhor acreditou nas promessas de fidelidade que você lhe fez, enviando-lhe ao caminho aqueles irmãos necessitados de mais amor.
Chegam eles de todas as procedências...
É a esposa fatigada esperando carinho; é o companheiro abatido implorando em silêncio, esperança e consolo.
De outras vezes, é o filho desorientado suplicando compreensão ou o parente na hora difícil,
aguardando braços fraternos.
Agora é o amigo transviado, esmolando compaixão e ternura, depois, talvez será o vizinho atormentado em problemas esfogueantes, pedindo bondade e cooperação.
Isso acontece, porquanto você pode compartilhar
com Ele a tarefa do auxílio.
Não desdenhe, deste modo, apoiar alguém.
Acendamos a luz, onde as trevas se adensem; articulemos tolerância, ao pé da agressividade; envolvamos as farpas da cólera em algodão de brandura; conduzamos a paz por fonte viva sobre a discórdia, toda vez que a discórdia se faça incêndio destruidor...
Deixe que Ele, o Mestre, se revele por sua palavra e por suas mãos. Não impeça a divina presença, através de
seu passo, no amparo às humanas dores.
E, nessa estrada bendita, depois da luta cotidiana, sentirá você no imo da própria alma, o sol da alegria perfeita repetindo, de coração erguido à
verdadeira felicidade:
- Obrigado Jesus, porque na força de Tua bênção, consegui esquecer-me, procurando servir.
_ André Luiz_

Nenhum comentário:

Postar um comentário