terça-feira, 29 de maio de 2012

O rio e o mar


Sobre as pedras brancas e lapidadas ele percorria. Percorria só, atento às ondulações em suas margens. Observando dia e noite a mata que o protegia. Sabia estar indo para algum lugar, mas não podia prever aonde daria seu curso.

Por vezes sentia-se só e alegrava-se quando os animais vinham nele beber. Dia e noite suas águas percorriam e desejava saber o porquê da sua natureza assim ser. Queria parar um pouco e desfrutar das mesmas coisas que todos desfrutavam na mata.

Um dia ao entardecer entristeceu-se e se pôs a chorar. Sentia muita solidão... Suas lágrimas inundaram a mata, causando pânico aos que nela viviam:
- Rio, por que choras? Tua tristeza desequilibra a natureza na qual vivemos!
- Choro por sentir-me só. Enquanto todos possuem companhia, eu percorro sozinho, sem ninguém para falar, ninguém para brincar. E sinto medo, pois não sei para onde estou indo...

Todos na mata silenciaram diante da tristeza do rio. Também não sabiam aonde ele iria chegar. Não podiam ajudá-lo. E assim todos ficaram parados, vendo o rio passar... Sua tristeza era profunda e não havia meios de ajudá-lo...
A chuva surgiu inesperadamente de dentro da mata e vendo a tristeza do rio, perguntou:
- O que lhe tira a paz, meu caro amigo?
- Não entendo minha natureza e sinto-me muito sozinho a percorrer por tantos caminhos que nunca chegam a lugar algum.

A chuva vendo o desespero do rio, afagou-o gentilmente com suas águas límpidas.
- Se choras por estares só é porque ainda não descobriste tua real natureza. Nada neste mundo está só, excluído do todo. Aceita tua natureza e percorre feliz em teu curso. És tão necessário quanto a mata e tudo que nela vive. És tão necessário quanto o sol e tudo que na sua luz é banhado. Teu destino não está longe e quando o encontrares saberás que tudo tem uma razão de ser. Aceita a orientação que vem de dentro, ela sabe o percurso e sabe para onde estás indo. Confia e tua confiança conduzir-te-á para tua alegria, para teu descanso, para teu reencontro com a tua verdadeira natureza. Quando chegares neste lugar estarás em paz, pois viverás com os teus iguais.

O rio recebeu a chuva com contentamento e tratou de seguir seu curso, confiante no que a chuva lhe falara.
Adiante, uma surpresa, uma linda surpresa: Percebeu que estava saindo da verde mata, caindo lentamente sobre um mar azul... Infinitamente azul...
Autor:Desconhecido

Uma mãe muito especial

 

 

Deus passeando sobre a Terra, seleciona seus instrumentos para a preservação da espécie humana com grande cuidado e deliberação. A medida em que vai observando, Ele manda os seus anjos fazerem anotações em um bloco gigante.
- Elizabete Souza...vai ter um menino. Santo protetor da mãe: São Mateus. Mariana Ribeiro...menina. Santa protetora da mãe: Santa Cecília. Claudia Antunes...esta terá gêmeos. Santo protetor...mande São Geraldo protegê-la. Ele esta acostumado com quantidade.

Finalmente Deus dita um nome a um dos anjos, sorri e diz:
- Para esta, mande uma criança excepcional.
O anjo cheio de curiosidade pergunta:
- Porque justamente ela Senhor? Ela é tão feliz.
- Exatamente, responde Deus, sorrindo. Eu poderia confiar uma criança deficiente a uma mãe que não conhecesse o riso? Isto seria cruel!

- Mas será que ela terá paciência suficiente?
- Eu não quero que ela tenha paciência demais, senão ela vai acabar se afogando num mar de desespero e auto-compaixão. Quando o choque e a tristeza passarem, ela controlará a situação. Eu a estava observando hoje, ela tem um conhecimento de si mesma e um senso de independência, que são raros, e ao mesmo tempo, tão necessários para uma mãe. Veja a criança que vou confiar a ela, tem todo o seu mundo próprio. Ela tem que trazer esta criança para o mundo real e isto não vai ser nada fácil.

- Mas Senhor, eu acho que ela nem acredita em Deus!
Deus sorri.
- Isto não importa, dá-se um jeito. Esta mãe é perfeita. Ela tem a dose exata de egoísmo de que vai precisar.
O anjo engasga.
- Egoísmo? Isto é uma virtude?
Deus balança a cabeça afirmativamente.

- Se ela não for capaz de se separar da criança de vez em quando, ela não vai sobreviver. Sim, aqui está a mulher a quem eu vou abençoar com uma criança menos "perfeita" do que as outras. Ela ainda não tem consciência disto, mas ela será invejada. Ela nunca vai considerar banal qualquer palavra pronunciada por seu filho. Por mais simples que seja um balbucio dessa criança, ela o receberá como um grande presente.
 Nenhuma conquista da criança será vista por ela como corriqueira.

Quando a criança disser "MAMÃE" pela primeira vez esta mulher será testemunha de um milagre e saberá recebê-lo. Quando ela mostrar uma árvore ou um pôr-do-sol ao seu filho e tentar ensiná-lo a repetir as palavras "árvore" e "sol", ela será capaz de enxergar minhas criações como poucas pessoas são capazes de vê-las. Eu vou permitir que ela veja claramente as coisas que Eu vejo: ignorância, crueldade e preconceito.

Então vou fazer com que ela seja mais forte do que tudo isso.
Ela nunca estará sozinha. Eu estarei a seu lado a cada minuto
de cada dia de sua vida, porque ela estará fazendo meu trabalho e estará aqui ao meu lado.

E qual será o santo protetor desta mãe? Pergunta o anjo, com caneta na mão.
Deus novamente sorri.
- Nenhum! Basta que ela se olhe num espelho.
Autor:Desconhecido

terça-feira, 22 de maio de 2012

Se dê uma chance


Quando a tristeza toma conta, quando chega sem aviso, e nos tira da frente dos olhos o que de mais belo temos para ver, e nos rouba os sentimentos e os sorrisos...
Neste momento é chegada a hora de sentar um pouco... Sentar em um dos tantos espaços da vida, quietinho, e muito lentamente,
trilhar o caminho ao início da mágoa, à fonte da tristeza.
E chegando nela,
observar muito atentamente, sentir com toda intensidade, conhecer realmente e encarar de frente a razão desta mágoa.
E a partir deste momento projetar a saída para a VIDA, para a PAZ novamente. Porque lá chegando, no centro desta tristeza, você terá sempre caminhos à escolher.  Você pode escolher permanecer neste espaço de infelicidade, sentir sua vida se esgotando, e carregar com você pessoas que ama, que te amam, e precisam de sua ajuda AINDA E SEMPRE.

E passará o resto de sua vida com uma lágrima nos olhos e uma grande e pesada porta vedando seu coração. Mas você pode perceber que existe um
caminho mais difícil de iniciar,
mas muito mais fácil de percorrer...
Você pode tentar se erguer e dar o primeiro
passo para a PAZ. Porque sua tristeza pode ser imensa, mas com certeza você tem por perto uma,
talvez até pequena, fonte de felicidade.
Se dê uma chance e se entregue à esta pequena alegria, deixe que um amigo se aproxime de você, receba o beijo carinhoso de alguém que precisa te amar, e aceite caminhar de mãos dadas, ainda que por pouco tempo.
E se além de imensa, sua tristeza é irreparável,
sem chance  alguma de sair de uma vez de sua vida, mesmo assim, não desista.  Guarde em seu coração o sentimento que esta tristeza cria em você. Não fuja disto. 

ENFRENTE ISSO!!
!
Você vai então perceber, que teu coração é imenso... como é grande este nosso coração!!!
Porque mesmo com aquela tão nossa conhecida tristeza ocupando nele seu espaço, ainda assim,
existe outro espaço infinito, e quantos e quantos momentos de felicidade podem ainda  ser aninhados dentro dele.
E, apesar de serem "momentos" de felicidade,
de não serem eternos, a lembrança desta felicidade permanecerá
eternamente contigo.
Valorize cada uma destas lembranças. Logo nos seus primeiros passos em direção à um amigo,  você com certeza vai receber um sorriso. 
GUARDE CONTIGO!!
Você quem sabe, receberá um olhar afetuoso,
um afago no rosto, um cheiro de flor, um carinho de criança...
Guarde tudo isto em seu coração!!!
Cada pedacinho de felicidade lhe dá força  e coragem para mais um passo.
Porque a VIDA é assim...
ou você se deixa escorregar fácil e displicentemente pelas tristezas, ou você constrói a cada dia e a cada minuto, o SEU espaço quente e aconchegante de
FELICIDADE!
 Autor:Desconhecido 

 

✿♥✿ Gotas de Bênçãos ✿♥✿

 

 Havia uma fazenda onde os trabalhadores viviam tristes e isolados.  Os trabalhadores estendiam suas roupas surradas no varal e alimentavam seus magros cães com o pouco que sobrava das refeições. Todos que viviam ali trabalhavam na roça do Sinhozinho, um homem rico e poderoso, que, dono de muitas terras exigia que todos trabalhassem duro pagando por isso muito pouco.

Um dia chegou ali um novo empregado. Era um jovem agricultor em busca de trabalho. Recebeu como todos uma velha casa onde iria morar enquanto trabalhasse ali. O jovem vendo aquela casa suja e largada, resolveu dar-lhe vida nova. Pegou uma parte de suas economias, foi até a cidade comprou algumas latas de tinta. Chegando em casa, em suas horas vagas, cuidou da limpeza, lixou as paredes com cores alegres e brilhantes, colocou flores nos vasos. Aquela casa limpa e arrumada chamava a atenção de todos que passavam.

O jovem sempre alegre trabalhava feliz na fazenda. Os outros trabalhadores lhe perguntavam: Como você consegue trabalhar feliz e sempre cantando com o pouco dinheiro que ganhamos?
O jovem olhou para os amigos e disse:
Bem, este trabalho, hoje, é tudo o que eu tenho. Ao invés de blasfemar e reclamar prefiro agradecer por ele. Quando aceitei este trabalho sabia de suas limitações. Não é justo que agora que estou aqui, fique reclamando. Eu o aceitei e farei com capricho e amor aquilo que aceitei fazer.

Os outros olharam admirados. Como ele pode pensar assim? Afinal, acreditavam ser vítimas das circunstâncias, abandonados pelo destino. O entusiasmo do rapaz em pouco tempo chamou a atenção de Sinhôzinho que passou a observar a distância os passos dele. Um dia Sinhôzinho pensou:
Alguém que cuida com tanto cuidado e carinho da casa que emprestei, cuidará também com o mesmo capricho da minha fazenda. Ele é o único aqui que pensa como eu. Estou velho e preciso de alguém que me ajude na administração da fazenda.

Sinhôzinho, foi até a casa do rapaz, e, após tomar um café fresco, ofereceu ao jovem um emprego de administrador da fazenda...
O rapaz prontamente aceitou.
Seus amigos agricultores novamente foram perguntar-lhe:
O que faz com que algumas pessoas sejam bem sucedidas e outras não?
E ouviram com atenção a resposta:
"NÃO EXISTE REALIDADE, EXISTE NO HOMEM, A CAPACIDADE DE REALIZAR!"

Uma bela lição encerra essa estória.
TRABALHE SEMPRE COM ALEGRIA. FAÇA DO SEU TRABALHO UM MOTIVO DE CONTENTAMENTO.
Seja ele qual trabalho for. Todo trabalho é DIGNO e BELO.
É necessário, e faz bem, colocar AMOR em tudo o que se faz nessa vida. Só REALIZA, quem assim age. Pode acreditar.

Autor:Desconhecido

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Instruções para a vida

 

 

Coma muito arroz integral. Dê as pessoas mais do que esperam e faça-o com gosto. Decore seu poema favorito. Não acredite em tudo o que escutar, não gaste tudo o que tem, nem durma tudo o que quiser. Quando disser "te amo", diga-o de verdade… Quando disser "sinto muito", olhe a pessoa nos olhos.
Creia no amor à primeira vista. Jamais ignore os sonhos dos outros. Ame profunda e apaixonadamente. Você pode sair ferido, mas essa é a única maneira de viver a vida completamente. Enfrente os desacordos, lute limpo e não ofenda. Não julgue os demais pelos parentes. Fale lentamente, mas pense com rapidez. Quando alguém fizer uma pergunta que não queiras responder, sorria e pergunte: "Porque quer saber?" Lembre que o maior amor e as maiores conquistas envolvem os maiores riscos. Ligue para sua mãe. Se isto não for possível, ao menos pense nela.

Diga "SAÚDE" quando alguém espirrar. Nas perdas, não percas a lição. Lembre-se dos três R's: Respeito a você mesmo, Respeito aos demais e Responsabilidade para todas as suas ações Não permita que uma pequena disputa estrague uma grande amizade. Quando você perceber que errou, faça o que for possível para consertar seu erro. Imediatamente. Sorria quando estiver ao telefone. Quem liga vai sentir seu sorriso pelo seu tom de voz. Case com uma pessoa que goste de conversar. quando a velhice chega, seu poder de falar e ouvir são mais importantes que qualquer outra coisa.
Passe algum tempo em solidão. Abra seus braços aos amigos, mas não se desprenda de seus valores. Lembre que o silêncio é, às vezes, a melhor resposta. Leia mais livros e assista menos TV. Viva uma vida boa e honesta. Assim, quando estiver velho e lembrar do passado, verás como desfrutar de tudo pela segunda vez. Confie em Deus, mas feche bem teu carro.
Uma atmosfera de carinho e afeição dentro de casa é fundamental. Faça todo o possível para que seu lar seja sempre um lugar tranqüilo e harmonioso. Quando você estiver em desacordo com alguém muito querido, procure resolver a pendência de uma vez, sem ressentimentos Não remexa em situações passadas. Leia sempre nas entrelinhas. Interprete fatos e reações Reparta seus conhecimentos. É uma maneira de alcançar a imortalidade.
Seja gentil com o planeta... Jamais interrompa o curso das águas. Ocupe-se de seus próprios assuntos. Não confie num homem ou mulher que não feche os olhos quando recebem um beijo. Uma vez por ano, visite algum lugar nunca . antes visitado. Se ganhas muito dinheiro, ajude aos outros ainda em vida. É a maior satisfação que a fortuna pode trazer.
Lembre-se de que não conseguir o que se quer é, as vezes, um golpe de sorte Aprenda bem as regras… assim saberás como infringi-las da forma correta. Lembre que o melhor relacionamento é aquele no qual o amor de um pelo outro é maior do que a necessidade que um tem do outro. Julgue o seu sucesso por aquilo o que você teve que renunciar para conseguir. Enfrente o amor e o ato de cozinhar com total abandono.
Autor:Desconhecido


"Estou neste momento respondendo no altar de renovação!"

 

 Mensagem de Deus



“Aprendi a querer o que Deus quer, e tudo o que quiserdes, certamente se realizará.” “Se, pois quiserdes colher à esquerda, semeai à direita: meditai neste conselho que tem a aparência de um paradoxo e que vos faz entrever um dos maiores segredos da filosofia oculta.” Deus é o Universo, é a alma da Luz, é a verdade absoluta. Deus é o capaz, é a razão, é o paradoxo de nossas vidas.
Assim como a Astrologia, o estudo Cabalístico é uma das formas de encontrarmos nossa plenitude. Temos o livre arbítrio, mas como toda regra, se tem excessões. Somos donos do nosso destino, mas o que somos nem sempre é o que gostaríamos de ser. Tudo realmente está escrito nos astros e é por esta razão que os anjos nos ajudam a enfrentar nossas vidas, para que possamos evoluir. O grande segredo da Magia, é o AMOR, porém é preciso distinguir o amor que imortaliza do que mata.
Deus sempre enviou anjos à Terra, para que homens se sintam protegidos e amados na mais remota solidão. E o que é a solidão senão um aprendizado de elevação. Aprendi que nada nessa vida acontece por acaso e se o acaso ocorre, geralmente nós o procuramos. O amor e o ódio vivem lado a lado. Quantas vezes pedimos aos anjos ou a Deus que nos ajude em alguma coisa?
Mas quantas vezes agrademos pelo ar, por esse Sol, essa terra maravilhosa que está aí, de graça? Pela dor, aprendemos, mas pelo amor, esquecemos de aprender ou de ensinar! Nesse momento, coloco toda minha existência e razão de ser, para que as pessoas possam sentir o alívio, sentir a Paz, sentir que o material não é nada comparado com uma alma leve, solta. Todos os dias estamos aprendendo, vivendo e vivenciando momentos que de repente se perdem com o passar do tempo. Vivemos reclamando por um amor perdido, por falta de dinheiro, por falta de CORAGEM.
Deus nos fez a Sua imagem, então, podemos concluir que somos parte de Deus e esse Deus está em nosso consciente. Se sofremos, Deus sofre. Se choramos por um amor perdido, Deus chora. Se cruzamos os braços, Deus cruza também. Na realidade, o que estou esclarecendo nesse momento, é que na ERA de Aquário, o nosso maior inimigo oculto, somos NÓS mesmos.
Amor não se perde, é eterno. Braços cruzados nos aleja. Chorar, geralmente contrai músculos e chega a envelhecer. Covardia é Guerra perdida. A ausência de religião hoje em dia, nos ensina erroneamente a vida, pois nos tornamos cada vez mais materialistas e é por está razão que os Anjos chegam para resgatar essa ausência de existência.
Temos que aprender a nos respeitar, a nos amar, a nos influenciar por verdadeiros valores. Anjos não tem idade, sexo, ou religião. Eles são emissários e mensageiros de Deus. É por intermédio deles que Deus nos ajuda. É por intermédio deles, que evoluímos a cada vida. Anjos são os cromossomos da astrologia e a astrologia é a essência de Deus. Para cada dia há um Anjo e para cada Anjo há um ser.

Nesse momento, iremos entrar numa lógica do ocultismo. Vamos verificar como e porque a sua Paz depende tanto da sua Boa Vontade e de sua Coragem. Gabriel, um Príncipe angelical, avisou a Maria que ela iria Ter um filho de Deus. Raphael e tantos outros tiveram e tem suas mensagens para nos dar. “Temos aqui, uma megacrise e os anjos vieram para nos resgatar e se não acreditarmos neles como expressão de “fraternidade” tudo será aniquilado!”

Jimmy Carter -Ex-Presidente dos Estados Unidos da América

 Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar  os velhos.

 

 

 

A Corrida de Canoa


 

 

Uma empresa brasileira e outra japonesa decidiram enfrentar-se todos os anos numa corrida de canoa, com oito homens cada. As duas equipes treinaram duramente e no dia da corrida estavam em sua melhor forma. No entanto os japoneses venceram por mais de um quilômetro de vantagem.
Depois da derrota a equipe ficou desanimada. O Diretor Geral decidiu que ganhariam no ano seguinte e criou um grupo de trabalho para examinar a questão. Após vários estudos, o grupo descobriu que os japoneses tinham sete remadores e um capitão.
Enquanto a equipe brasileira tinha um remador e sete capitães. Diante disso, o Diretor Geral teve a brilhante idéia de contratar uma empresa para analisar a estrutura da equipe. Depois de longos meses de trabalho, os especialistas chegaram à conclusão de que a equipe tinha capitães demais e remadores de menos. Com base no relatório dos especialistas, a empresa decidiu mudar a estrutura da equipe.
A equipe seria agora composta por quatro comandantes, dois supervisores, um chefe de supervisores e um remador. Especial atenção seria dada ao remador. Ele teria que ser melhor qualificado, motivado, e conscientizado de suas responsabilidades. No ano seguinte os japoneses venceram com dois quilômetros de vantagem.
Os dirigentes da empresa despediram o remador por causa do seu mau desempenho. E deram um premio aos demais membros como recompensa pela forte motivação que tentaram incutiram na equipe. O Diretor Geral preparou um relatório da  situação, no qual ficou demonstrado que foi escolhida a melhor tática, a motivação era boa mas o material deveria ser melhorado.
No momento estão pensando em substituir a canoa.
Autor:Desconhecido 

domingo, 13 de maio de 2012


 Mamãe, por que te amo tanto? 

 

 


Todas as crianças, inevitavelmente, chegam naquela fase das famosas perguntas. Perguntam sobre tudo. Querem saber sobre tudo, num afã natural e belo de se ver, na busca pelo conhecimento, por descobrir o mundo. Do que são formadas as nuvens?

Por que aquele homem mora na rua? Como o Papai do Céu pode vigiar todos ao mesmo tempo? Como nasceu a primeira mãe de todas? Porquês e mais porquês... Que acabam deixando os pais de cabelo em pé, em muitas ocasiões.

Uma dessas perguntas em especial, chamou-nos a atenção, quando em contato com uma reportagem de certa revista especializada em educação infantil. Mamãe, por que te amo tanto?

Há perguntas que nasceram para serem perguntas, e há respostas que não são palavras. – Afirma o autor da matéria. Diz ele ainda que nesses casos a melhor resposta pode ser um beijo, um abraço forte, o toque, o silêncio... Realmente, poderíamos pensar: Como explicar o amor? Como encontrar a razão na Terra onde reinam os sentimentos?

Sem a pretensão de explicá-lo, mas com a vontade de torná-lo mais admirável ainda, quem sabe poderíamos dizer a essa criança: Você ama sua mãe, pois antes de lhe dar o abrigo desta casa feita de paredes, ela guardou você em um lar de beleza sem igual, aconchegante e cheio de paz.

Você ama sua mãe, pois possivelmente esta não é a primeira vez que você a vê. Seus corações amigos podem ter se encontrado muito tempo antes...

Você ama sua mãe, certamente porque junto do alimento do corpo, ela lhe concedeu sempre a nutrição da alma, com seu sorriso e um ‘Seja bem-vindo ao mundo, meu filho!

Seu amor por sua mãe vem dos cuidados que ela tem pelas coisas mais simples da vida, como: arrumar os bichinhos de pelúcia no quarto para lhe darem ‘bom dia’ pela manhã; colocar o macaquinho ao seu lado, para que você o abrace à noite, e não se sinta só. Conversar com você durante o banho, ensinando o nome de cada pedacinho de seu novo corpo, e enchendo-o de beijos amorosos.

Dançar com você pela sala, rodando, rodando, para ouvir suas gargalhadas deliciosas. Ficar com você no colo, assistindo seu desenho preferido, até você pegar no sono, tranqüilo, seguro, aquecido. Levar você para a cama dela, quando você se sente sozinho em seu quarto à noite, aconchegando-o bem perto de seu coração - lembrando dos tempos em que você estava ali, crescendo forte dentro dela.

Finalmente, poderíamos dizer que você ama sua mãe, porque ela ama você sem pedir nada em troca. O que um dia você entenderá como sendo o amor incondicional. E ela será seu maior exemplo dele.

Um filho bem amado nunca esquecerá sua mãe. Mesmo que ele enverede por caminhos tortuosos, que faça escolhas perigosas na vida, aquela candeia do carinho materno sempre estará lá. Será aquela luzinha distante, no meio da escuridão dominante da ignorância - como um convite terno para trazê-lo para a senda iluminada novamente.

O amor materno será sempre seu laço seguro e certo com o amor de Deus.

Que o Criador Supremo do Universo abençoe todas as mães...
Rubens Jardim

sábado, 12 de maio de 2012

♥♥ Acabe com a escuridão ♥♥♥

 



- É como me sinto. Como aquela árvore ali no quintal. Disse o velho homem quando entrei no lugar.

Eu não o pude ver a princípio. Era um lindo dia ensolarado, mas seu lugar era escuro. Tentei me ajustar à mudança rapidamente. Finalmente, depois de esquadrinhar o pequeno lugar eu vi sua silhueta.

- Escondendo-se de alguém? Perguntei.
- Do mundo! Ele respondeu.

- Eu nunca fui capaz de fazer isto, embora tenha tentado. Eu finalmente compreendi que eu não posso me esconder do mundo se sou uma parte dele. Então, depois de lutar com a idéia, eu decidi que se sou uma parte dele, então eu também sou responsável por ele. Minha meta desde então é deixar atrás de mim uma impressão positiva. Não a de um homem que se escondia. Eu disse.

- Bem... Certo... É uma forma de ver as coisas. Ele disse.

- Agora, fale-me sobre a árvore que você vê.

- Pois é, está toda curvada. O peso da neve a fez curvar-se até quase tocar o chão. Ele disse.

- E isso não é lindo? Quando vinha para cá vi centenas de árvores como esta. O sol brilhava sobre cada um dos ramos. Eu disse.

- Estas árvores estão curvadas por causa do peso. Vejo isto como tristeza. Ele disse.

- Mas as fortes sempre se erguem novamente. Aquela neve, assim como as preocupações que nós, seres humanos, carregamos conosco, se acumulam lentamente até que a árvore não pode mais ficar ereta. As fortes dobram-se com o peso, mas nunca caem. E a diferença entre você e aquela árvore é que você tem uma escolha. Pode ficar parado e segurar todas as suas preocupações e problemas até que você caia ao chão ou você pode se sacudir e movimentar-se. Eu lhe falei.

- Hmmmmm.

- Mas como aquela árvore, nós dependemos da luz. O calor do sol a ajuda a crescer. O mesmo sol fará desaparecer aquilo que a ameaça. Deus é minha luz. Dependo Dele para crescer. Quando carrego uma preocupação e meus dias ficam escuros e frios, viro-me em direção à Luz e desaparecem meus temores.


Repentinamente, o velho senhor levantou-se e disse,

- Como está brilhando lá fora!

E você, como está passando pela vida? Arrastando-se entre velhas memórias, desafios, preocupações e dores? Chegou a um ponto em que você se sente tão curvado que não mais consegue levantar-se?


As árvores não têm escolha. Que desculpa você tem vendido a si mesmo que o permitiu chegar, neste momento da sua vida, à um jeito que você não pode mais mover-se?


A luz de Deus brilha na escuridão e começa por dentro. E tudo começa quando você se solta e O deixa tomar o controle.


Acabe com a escuridão... Bem-vindo à Luz!


Tradução de Sergio Barros

Estou de pé com Jesus

 

 


Esta é uma história verdadeira que aconteceu há alguns anos atrás, na Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

Havia um professor de filosofia que era um ateu convicto. Sempre sua meta principal era tomar um semestre inteiro para provar que Deus não existe.


Os estudantes sempre tinham medo de argüí-lo por causa da sua lógica impecável.


Por 20 anos ensinou e mostrou que jamais haveria alguém que ousasse contrariá-lo e embora, às vezes surgisse alguém que o tentasse, nunca o venciam.


No final de todo semestre, no último dia, fazia a mesma pergunta à sua classe de 300 alunos:

- Se há alguém aqui que ainda acredita em Jesus, que fique de pé!

Em 20 anos ninguém ousou levantar-se. Sabiam o que o professor faria em seguida. Diria:

- Porque qualquer um que acredita em Deus é um tolo! Se Deus existe impediria que este giz caísse ao chão e se quebrasse. Esta simples questão provaria que Ele existe, mas, não pode fazer isso!

E todos os anos soltava o giz, que caia ao chão partindo-se em pedaços. E todos os estudantes apenas ficavam quietos, vendo a demonstração. A maioria dos alunos pensava que Deus poderia não existir.


Certamente, havia alguns cristãos mas, todos tiveram muito medo de ficar de pé.


Bem... há alguns anos atrás chegou a vez de um jovem cristão que tinha ouvido sobre a fama daquele professor.


O jovem estava com medo, mas, por 3 meses daquele semestre orou todas as manhãs, pedindo que tivesse coragem de se levantar, não importando o que o professor dissesse ou o que a classe pensasse. Nada do que dissessem abalaria sua fé... ao menos era seu desejo.


Finalmente o dia chegou. O professor disse:

- Se há alguém aqui que ainda acredita em Jesus, que fique de pé!

O professor e os 300 alunos viram, atônitos, o rapaz levantar-se no fundo da sala. O professor gritou:

- Você é um TOLO!!! Se Deus existe impedirá que este giz caia ao chão e se quebre!

E começou a erguer o braço, quando o giz escorregou entre seus dedos, deslizou pela camisa, por uma das pernas da calça, correu sobre o sapato e ao tocar no chão simplesmente rolou, sem se quebrar.


O queixo do professor caiu enquanto seu olhar, assustado, seguia o giz.


Quando o giz parou de rolar levantou a cabeça... encarou o jovem e... saiu apressadamente da sala
.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Todo mundo tem um sonho

 

 

Alguns anos atrás eu assumi um serviço na assistência social da cidade. E o que eu queria fazer era mostrar que todos, se unidos e compartilhando obstáculos, têm a capacidade para se realizar. Selecionei um grupo de pessoas assistidas pelo serviço e as reunia em grupo, por três horas, todas as sextas-feiras.

A primeira coisa que eu disse ao grupo, depois de um aperto de mão com todos, foi:

- Eu gostaria de saber quais são os seus sonhos.

Todos me olharam como um grande excêntrico.

- Sonho? Nós não temos sonhos.

Uma mulher disse

- Como posso pensar em sonhos? Os ratos estão comendo as minhas crianças.

- Oh, eu disse. Isso é terrível. Não, claro que não, você está mesmo muito envolvida com os ratos e suas crianças. Como posso lhe ajudar?


- Bem, eu preciso de uma porta de tela porque há muitos buracos em minha porta.


Eu perguntei,

- Tem alguma pessoa aqui que sabe instalar uma porta de tela?

Havia um homem no grupo, e ele disse,

- A muito tempo atrás eu fiz alguns serviços desse tipo mas agora estou sem prática, mas eu poderia tentar.

- Vou lhe dar um pouco de dinheiro para que você compre o material necessário e conserte a porta desta senhora. Você acha que dá para fazer?


- Sim, eu vou tentar.

Na sexta-feira seguinte, quando o grupo estava reunido, eu perguntei à mulher,
- Bem sua porta foi consertada?
- Oh, sim. Ela disse.

- Então nós podemos começar a sonhar, não podemos?

Ela me lançou um sorriso.
E eu perguntei ao homem que fez o serviço,
- E você? Como se sente?

Ele disse,

- Bem, muito bem! Você sabe, é uma coisa muito engraçada. Foi terminar o serviço e eu comecei a me sentir muito melhor.

Isso ajudou o grupo a começar a sonhar. Este aparentemente pequeno sucesso permitiu ao grupo ver que os sonhos não eram insanos. Estes pequenos passos começaram a mostrar as pessoas que elas poderiam fazer acontecer.


Perguntei sobre os sonhos das outras pessoas. Uma mulher disse que gostaria de ter uma babá.

- Eu tenho seis crianças, e eu não tenho ninguém com quem deixa-las enquanto estou fora.

- Vamos ver! Eu disse. - Tem alguma pessoa neste grupo que pode tomar conta de seis crianças por um ou dois dias por semana enquanto esta mulher faz um treinamento aqui na faculdade da comunidade?


Uma outra mulher respondeu

- Eu tenho crianças também, mas eu posso fazer isso.
- Façamos isto, eu disse. Assim um plano foi criado e a mulher pode ir à escola.

Todo o mundo sabe alguma coisa. O homem que consertou a porta de tela se tornou um biscateiro. A mulher que alojou as crianças iniciou um trabalho de babá para todos que precisassem. Em 12 semanas eu pude ver todas estas pessoas fora do serviço de assistência social. E só com o fato de entenderem ser possível realizar. Basta crer e tentar.



Tradução de Sergio Barros do texto de Virgínia Satir

O que ele fez por amor...

 

 

Sam, aos dezessete anos de idade, tinha os normais sonhos e desejos de um jovem que entra na maioridade. Ele esperava se casar com uma boa e amorosa mulher, trabalhar duro e estudar, e criar uma vida farta para constituir uma família.

Mas, naqueles tempos, na Polônia, um jovem não podia esperar realizar seus sonhos. A ameaça de ser convocado pelo exército assombrava todos os homens em idade de guerrear e sobrecarregava os corações de seus pais. Se um homem fosse convocado pelo exército russo, ele tinha pouca esperança de voltar para casa. Eles eram convocados para viver ou morrer em serviço. Sam foi escolhido para ser um desses meninos.

Algumas famílias aceitavam este destino como inevitável e em prantos se despediam dos filhos. Outros tomavam a extrema medida de cortar fora o dedo indicador da mão direita (o dedo do gatilho) tornando-o incapaz para o serviço, vendo a mutilação como um mal menor se comparado com o prolongado sofrimento ou a morte. Sam decidiu de outra forma, entre enfrentar grandes perigos e a promessa de uma vida melhor se tudo desse certo, ele escolheu a fuga.

Sam não estava apenas fugindo dos perigos que o ameaçam em Lodz (província polonesa); ele estava buscando por algo (ou alguém). Ele tinha se apaixonado por Gussie, uma jovem polonesa, pouco antes da família dela fugir de Lodz para a América. Ele tinha recebido notícias de que ela estava segura em Nova Iorque e sentia falta dele. Sam estava determinado a se casar com Gussie e realizar seus sonhos, assim ele se preparou para uma perigosa viagem.

Seus pais lhe embalaram comida e água para a viagem, mas a principal necessidade dele era dinheiro. Se Sam quisesse cruzar a fronteira alemã, ele teria que subornar o guarda. Os pais de Sam juntaram todas as suas economias, amarraram o dinheiro em um lenço e esconderam por baixo de muitas camadas de roupas. Quando, ou se, Sam cruzasse a fronteira, ele teria que encontrar um jeito e alguns amigos alemães que poderiam ajudar a chegar em Nova Iorque.

Quando Sam abraçou sua família na manhã da partida, ele gostaria de saber se os veria (ou a Gussie) novamente. Sam concentrou os pensamentos no amor que tinha por Gussie e em seus planos para o futuro, de forma a passar o tempo e sustentar a coragem necessária durante a viagem. Finalmente, Sam chegou à fronteira alemã, pegou o dinheiro escondido e gelou o rosto. Haviam dois guardas patrulhando a fronteira; ele tinha dinheiro para apenas um suborno. Ele não ia conseguir. Pior, um dos guardas tinha lhe visto, assim ou avançava ou voltava pra casa.

- Gussie, Sam disse a si mesmo, eu estou fazendo isto por você, e eu sei que Deus não nos abandonará. Sam rezou enquanto caminhava lentamente. Ele precisava de um milagre.

Quando Sam chegou mais perto, ele reconheceu um dos guardas como um amigo de seu pai, um que tinha visitado a família muitas vezes. Sam fitou os olhos do guarda. Quando o guarda reconheceu Sam e viu o olhar de medo em seu rosto, entendeu imediatamente o que estava acontecendo. De repente, o guarda começou a gritar apontando na direção oposta. O outro guarda, distraído, se virou. Sam teve o tempo suficiente para cruzar a fronteira e colocar-se fora de perigo - e ele ainda tinha todo o dinheiro do suborno.

Sam chegou são e salvo a Nova Iorque, e encontrou Gussie. Depois que se casaram, usaram aquele dinheiro de suborno para começar um próspero negócio. Apesar da felicidade, Sam nunca se esqueceu da família na Polônia. Depois de dois anos, Sam pôde trazer seus pais e irmãos para Nova Iorque.

Este jovem, cujo futuro na Polônia era bastante incerto, viveu tempo bastante para conhecer seus netos. Na realidade, eu sou um desses netos. Enquanto vovô Sam ainda estava vivo, meus primos e eu nunca cansamos de ouvir a história da corajosa viagem. Mas o melhor de tudo, nós entendemos o que o trouxe à sua Gussie: não foi um golpe de sorte ou uma armação do destino, mas um milagre de amor.
Eileen Lawrence

Lenço Branco

 

 


Quem está habituado a enfrentar águas traiçoeiras sabe o quanto é importante o brilho do farol para apontar o rumo seguro.

Sherry Hogan conta que o seu farol era o lenço de seu pai. Ele não dava importância às iniciais bordadas ou aos tecidos caros . Gostava mesmo de lenços de algodão branco simples. Sempre à mão, o lenço de seu pai servia para limpar os desastres ocasionados pelos picolés derretidos da criançada, no banco traseiro do carro.


Serviu para enfaixar o ferimento do gatinho favorito de Sherry, depois de um desagradável encontro do bichano com o cachorro do vizinho. Na adolescência, mais de uma vez o lenço serviu para secar as lágrimas de Sherry.


Quando, aos 20 anos, ela foi se despedir do pai, antes de partir para a Europa, começou a chorar, tomada de pânico. O quadrado de algodão tão familiar serviu para lhe secar as lágrimas, enquanto a voz grave do pai a incentivava a confiar e partir.


Três anos depois, em seu retorno, a primeira visão que teve ao chegar ao aeroporto, foi do lenço branco do pai acenando para ela acima das cabeças da multidão.


No natal de 1997, seu pai estava muito doente. O câncer lhe tomara quase todo o corpo. Sabendo que ele partiria a qualquer momento, Sherry foi comprar lenços lindos, de linho, bordados. Naturalmente, também comprou uns de algodão, por preço bem popular.


Ele abriu cada um dos pacotes. Colocou de lado os elegantes lenços bordados, escolheu um baratinho e falou:

- Só usarei os caros em ocasiões muito importantes.

A filha abraçou o pai, como a se despedir:

- Você sempre esteve presente quando precisei, pai.

Foi o que falou, emocionada.

Ele respondeu:
- E sempre vou estar, só que de um jeito diferente. Confie em mim.

Dez dias depois ele partiu. Sherry passou a sentir muito a falta dele. Dois meses depois, ela se sentia desanimada, triste. Sabia que ele estava em um lugar melhor, mas precisava do abraço dele.

- Fale com ele, lhe disse a irmã.

Chorosa, saudosa, ela começou a falar, andando pela sala:

- Ah, papai. Sei que você está em um lugar melhor. Acredito nisso especialmente graças a você. Mas sinto tanto sua falta. Eu só queria saber se você está bem.

O silêncio foi a resposta. Ela começou a soluçar alto. Podia sentir a tristeza lhe percorrendo o corpo todo.


Foi então que ela viu, pelo canto do olho: um grande quadrado branco debaixo da cadeira de seu pai.

Era um dos lenços novos bordados. Como ele tinha ido parar ali? Ela limpava a sala todas as manhãs. De onde ele poderia ter saído?

Palavras de seu pai lhe vieram à mente:

- Só usarei os lenços caros em ocasiões muito importantes.

Sherry entendeu. Seu pai lhe mandara a resposta:

- Querida, estou bem. Cheguei em casa.


Autor:Desconhecido

quarta-feira, 9 de maio de 2012

 Dai-me Senhor, a perseverança das ondas do mar, que fazem de cada recuo um ponto de partida para um novo avanço.”

   


 

 O bem mais precioso 

 

 

Conta o folclore europeu que há muitos anos atrás um rapaz e uma moça apaixonados resolveram se casar. Dinheiro eles quase não tinham, mas nenhum deles ligava para isso. A confiança mútua era a esperança de um belo futuro, desde que tivessem um ao outro.

Assim, marcaram a data para se unir em corpo e alma. Antes do casamento, porém, a moça fez um pedido ao noivo:
- Não posso nem imaginar que um dia possamos nos separar. Mas pode ser que com o tempo um se canse do outro, ou que você se aborreça e me mande de volta para meus pais.

- Quero que você me prometa que, se algum dia isso acontecer, me deixará levar comigo o bem mais precioso que eu tiver então.
O noivo riu, achando bobagem o que ela dizia, mas a moça não ficou satisfeita enquanto ele não fez a promessa por escrito e assinou.

Casaram-se. Decididos a melhorar de vida ambos trabalharam muito e foram recompensados. Cada novo sucesso os fazia mais determinados a sair da pobreza, e trabalhavam ainda mais. E tempo passou e o casal prosperou. Conquistaram uma situação estável e cada vez mais confortável, e finalmente ficaram ricos.

Mudaram-se para uma ampla casa, fizeram novos amigos e se cercaram dos prazeres da riqueza. Mas, dedicados em tempo integral aos negócios e aos compromissos sociais, pensavam mais nas coisas do que um no outro.

Discutiam sobre o que comprar, quanto gastar, como aumentar o patrimônio, mas estavam cada vez mais distanciados entre si. Certo dia, enquanto preparavam uma festa para amigos importantes, discutiram sobre uma bobagem qualquer e começaram a levantar a voz, a gritar, e chegaram às inevitáveis acusações.

- Você não liga para mim! - gritou o marido - só pensa em você, em roupas e jóias.
- Pegue o que achar mais precioso, como prometi, e volte para a casa dos seus pais. Não há motivo para continuarmos juntos.
A mulher empalideceu e encarou-o com um olhar magoado, como se acabasse de descobrir uma coisa nunca suspeitada.
- Muito bem, disse ela baixinho. Quero mesmo ir embora. Mas vamos ficar juntos esta noite para receber os amigos que já foram convidados. Ele concordou.

A noite chegou. Começou a festa, com todo o luxo e a fartura que a riqueza permitia. Alta madrugada o marido adormeceu, exausto. Ela então fez com que o levassem com cuidado para a casa dos pais dela e o pusessem na cama.

Quando ele acordou, na manhã seguinte, não entendeu o que tinha acontecido. Não sabia onde estava e, quando sentou-se na cama para olhar em volta, a mulher aproximou-se e disse-lhe com carinho:
- Querido marido, você prometeu que se algum dia me mandasse embora eu poderia levar comigo o bem mais precioso que tivesse no momento.

- Pois bem, você é e sempre será o meu bem mais precioso. Quero você mais que tudo na vida, e nem a morte poderá nos separar.
Envolveram-se num abraço de ternura e voltaram para casa mais apaixonados do que nunca.

Autor:Desconhecido

 

”Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da
vida removendo pedras e plantando flores”
(Cora Coralina)

 

E de repente... 

 

... E de repente um doente se curou, alguém perdoou ou pediu perdão, alguém abriu os braços, estendeu as mãos.
... E de repente uma mãe enlutada encontrou consolação, um órfão obteve  adoção e no asilo houve visitas para o ancião.
... E de repente uma fera humana retraiu as garras, um arrogante considerou a humildade, um avarento doou com generosidade.
... E de repente um talento escondido aflorou, a divina singularidade se expressou, e a beleza se fez com majestade.

... E de repente um triste deparou-se com a alegria, um faminto obteve o pão, e o aflito encontrou a solução.
... E de repente reconheceu-se um inocente, e no cárcere um culpado converteu-se, e, alhures, alguém superou um vício.

... E de repente um trabalhador  abençoou o ofício, um desempregado achou colocação, um lar reafirmou-se na união.
... E de repente fez-se paz e luz por toda a Terra e, qual gigantesca onda, tudo permeou, e o " Verbo " por toda parte ressoou.
Foi um instante fugidio, clarão de um segundo: É que nesse átimo de tempo abençoado, alguém, em alguma parte do mundo, abriu a alma para Deus com sinceridade e orou!

Fátima Irene Pinto

Como temperar o aço 

 


Lynell Waterman conta a história do ferreiro que, depois de uma juventude cheia de excessos, decidiu entregar sua alma a Deus. Durante muitos anos trabalhou com afinco, praticou a caridade, mas apesar de toda a sua dedicação, nada parecia dar certo em sua vida. Muito pelo contrário: seus problemas e dívidas acumulavam-se cada vez mais.
Uma bela tarde, um amigo que o visitava e que se compadecia de sua situação difícil comentou:
- É realmente muito estranho que, justamente depois que você resolveu se tornar um homem temente a Deus, sua vida começou a piorar. Eu não desejo enfraquecer sua fé, mas, apesar de toda a sua crença no mundo espiritual, nada tem melhorado.
O ferreiro não respondeu imediatamente: ele já havia pensado nisso muitas vezes, sem entender o que acontecia em sua vida. Entretanto, como não queria deixar o amigo sem resposta, começou a falar e terminou encontrando a explicação que procurava. Eis o que disse o ferreiro:
- Eu recebo nesta oficina o aço ainda não trabalhado, e preciso transformá-lo em espadas. Você sabe como isso é feito?
“Primeiro, eu aqueço a chapa de aço num calor infernal, até que ela fique vermelha. Em seguida, sem qualquer piedade, eu pego o martelo mais pesado, e aplico vários golpes, até que a peça adquira a forma desejada. “Logo ela é mergulhada num balde de água fria, e a oficina inteira se enche com o barulho do vapor, enquanto a peça estala e grita por causa da súbita mudança de temperatura. “Tenho que repetir este processo até conseguir a espada perfeita: uma vez apenas não é suficiente.”
O ferreiro deu uma longa pausa, acendeu um cigarro, e continuou: -As vezes, o aço que chega as minhas mãos não consegue agüentar este tratamento. O calor, as marteladas, e a água fria terminam por enche-lo de rachaduras. E eu sei que jamais se transformará numa boa lâmina de espada. “Então, eu simplesmente o coloco no monte de ferro-velho que você viu na entrada da minha ferraria.”
Mais uma pausa, e o ferreiro concluiu:
- Sei que Deus esta me colocando no fogo das aflições. Tenho aceito as marteladas que a vida me dá, e as vezes sinto-me tão frio e insensível como a água que faz sofrer o aço.
Mas a única coisa que peço é: “Meu Deus, não desista, até que eu consiga tomar a forma que o Senhor espera de mim. Tente da maneira que achar melhor, pelo tempo que quiser mas jamais me coloque no monte de ferro-velho das almas”.

Paulo Coelho