segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A Cadeira

 

O sacerdote foi chamado para orar por um homem muito enfermo. Quando o sacerdote  entrou no quarto, encontrou o pobre homem na cama com a cabeça apoiada num par de
almofadas.

Havia uma cadeira ao lado da cama, fato que levou o sacerdote a pensar que o homem  estava aguardando a sua chegada.
- Suponho que
estava me esperando?
- disse o sacerdote.
- Não, quem é você? - respondeu o homem enfermo.

- Sou o sacerdote que a sua filha chamou para orar por você; quando entrei e vi a  cadeira vazia ao lado da sua cama, imaginei que você soubesse que eu viria visitá-lo.
- Ah sim, a cadeira! Entre e feche a porta.  Então o homem enfermo lhe disse:
- Nunca contei para ninguém, mas passei toda a minha vida sem ter aprendido orar.

Não sabia direito como se deve orar.  E nunca dei muita importância para a
oração. Pensava que Deus estava muito distante  de mim.
- Assim sendo, há muito tempo abandonei por completo a idéia de falar com Deus.

Até que um amigo me disse: “José, orar é muito simples. Orar é conversar com Jesus, e isto eu sugiro que você
nunca deixe de fazer... você se senta numa cadeira e... ...coloca outra
cadeira vazia na  sua frente. Em seguida, com muita fé, você imagina que Jesus está sentado ali, bem
diante de você. Afinal Jesus mesmo disse:

- “Eu estarei sempre com vocês”.
- Portanto, você pode falar com Ele e escutá-lo, da mesma maneira como está fazendo  comigo agora.

- Pois assim eu procedi e me adaptei à idéia. Desde então, tenho conversado com Jesus  durante umas duas horas diárias. Tenho sempre muito
cuidado para que a minha filha
não me veja... pois me internaria num manicômio imediatamente.

O sacerdote sentiu uma grande emoção ao ouvir aquilo, e disse a José que era muito  bom o que estava fazendo e que não deixasse nunca de fazê-lo. Em seguida orou com
ele e foi embora. Dois dias mais tarde, a filha de José comunicou ao sacerdote que seu pai havia falecido.
O sacerdote então perguntou:
- Ele faleceu em paz?
- Sim, quando eu estava me preparando para sair, ele me chamou ao seu quarto.

Ele disse que me
amava muito e me deu um beijo. Quando eu voltei das compras, uma  hora mais tarde, já o encontrei morto. Porém há algo de estranho em relação à sua  morte, pois aparentemente, antes de morrer, chegou perto da cadeira que estava ao  lado da cama e encostou a cabeça nela. Foi assim que eu o encontrei.

Porque será isto? – perguntou a filha.  O sacerdote, profundamente emocionado, enxugou as lágrimas e respondeu: - Ele partiu nos braços do seu melhor amigo...

Autor:Desconhecido

Nenhum comentário:

Postar um comentário